Audrey, a Gunslinger

Ir em baixo

Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Aleleeh em Seg Maio 12, 2014 6:22 pm



Audrey atualmente:



Ficha:

Detalhes:

Nome: Lady Audrey Eve Keenary Whelan
Classe: Gunslinger
Alinhamento: Caótico Neutro
Terra Natal: Arsin
Raça: Humana
Tamanho: Médio
Sexo: Feminino
Idade: 23
Altura:1,60
Peso: 62,3 kilos
Cabelo: Ruivo
Olhos: Negros
Velocidade: 30 ft / 9 metros
Idiomas: Comum, Feérica, Silvestre
Nível: 8

Habilidades e Saves:

For: 10
Des: 18 (16 + 2 humana)
Cons: 10
Int: 12
Sab: 16
Car: 13

Fortitude: + 6 + 0 = 6
Reflexo: + 6 + 4 = 10
Vontade: + 2 + 3 = 5

PV, CA, BBA:

PV: 1D10/Nvl + Mod Con = 43
CA: 10 + Mod de Des 4 + Mod de Deflexão 4 (Mobilidade Contra AdO) + Mod Variado 2~4 (Gunslinger Dodge) =  14 (16~18 com o Deed)
BBA: + 8 / +3

CMB (BBA + Mod For + Mod Tamanho): 8 + 0 + 0 = 8 (Rolagem com +1d20)
CMD (Base + BBA + Mod For + Mod Des + Mod Tamanho): 10 + 8 + 0 + 4 + 0 = 22

Gunslinger Grit, Nimble e Gun Training:
+ 4 Grit (Coragem)
+ 2 Nimble (+2 de esquiva na CA com ou sem armadura leve. Tudo o que fizer o atirador perder seu bônus de destreza, será descontado no bônus de esquiva)

Gun Training: Revolver

Deeds (Gunslinger):

Deeds:
Gunslinger's dodge: + 2 CA [+4 se puder se abaixar], gera ataque de oportunidade

Pistol-Whip: Ataque Melee com a pistola
Acerto: 1d20+0(for)+8(bba)
Dano: 1d6+0+3

Deadeye (Ex): At 1st level, the gunslinger can resolve an attack against touch AC instead of normal AC when firing beyond her firearm's first range increment. Performing this deed costs 1 grit point per range increment beyond the first. The gunslinger still takes the –2 penalty on attack rolls for each range increment beyond the first when she performs this deed.

Quick Clear (Ex): At 1st level, as a standard action, the gunslinger can remove the broken condition from a single firearm she is currently wielding, as long as that condition was gained by a firearm misfire. The gunslinger must have at least 1 grit point to perform this deed. Alternatively, if the gunslinger spends 1 grit point to perform this deed, she can perform quick clear as a move-equivalent action instead of a standard action.

Gunslinger Initiative (Ex): At 3rd level, as long as the gunslinger has at least 1 grit point, she gains the following benefits. First, she gains a +2 bonus on initiative checks. Furthermore, if she has the Quick Draw feat, her hands are free and unrestrained, and the firearm is not hidden, she can draw a single firearm as part of the initiative check.

Utility Shot (Ex): At 3rd level, if the gunslinger has at least 1 grit point, she can perform all of the following utility shots. Each utility shot can be applied to any single attack with a firearm, but the gunslinger must declare the utility shot she is using before firing the shot.

•  Blast Lock: The gunslinger makes an attack roll against a lock within the first range increment of her firearm. A Diminutive lock usually has AC 7, and larger locks have a lower AC. The lock gains a bonus to its AC against this attack based on its quality. A simple lock has a +10 bonus to AC, an average lock has a +15 bonus to AC, a good lock has a +20 bonus to AC, and a superior lock has a +30 bonus to AC. Arcane lock grants a +10 bonus to the AC of a lock against this attack. On a hit, the lock is destroyed, and the object can be opened as if it were unlocked. On a miss, the lock is destroyed, but the object is jammed and still considered locked. It can still be unlocked by successfully performing this deed, by using the Disable Device skill, or with the break DC, though the DC for either break or Disable Device or the AC increases by 10. A key, combination, or similar mechanical method of unlocking the lock no longer works, though knock can still be employed to bypass the lock, and the creator of an arcane lock can still bypass the wards of that spell.

•  Scoot Unattended Object: The gunslinger makes an attack roll against a Tiny or smaller unattended object within the first range increment of her firearm. A Tiny unattended object has an AC of 5, a Diminutive unattended object has an AC of 7, and a Fine unattended object has an AC of 11. On a hit, the gunslinger does not damage the object with the shot, but can move it up to 15 feet farther away from the shot's origin. On a miss, she damages the object normally.

•  Stop Bleeding: The gunslinger makes a firearm attack and then presses the hot barrel against herself or an adjacent creature to staunch a bleeding wound. Instead of dealing damage, the shot ends a single bleed condition affecting the creature. The gunslinger does not have to make an attack roll when performing the deed in this way; she can instead shoot the firearm into the air, but that shot still uses up ammunition normally.

Dead Shot (Ex): At 7th level, as a full-round action, the gunslinger can take careful aim and pool all of her attack potential into a single, deadly shot. When she does this, she shoots the firearm at a single target, but makes as many attack rolls as she can, based on her base attack bonus. She makes the attack rolls in order from highest bonus to lowest, as if she were making a full attack. If any of the attack rolls hit the target, the gunslinger's single attack is considered to have hit. For each additional successful attack roll beyond the first, the gunslinger increases the damage of the shot by the base damage dice of the firearm. For instance, if a 7th-level gunslinger firing a musket hits with both attacks, she does 2d12 points of damage with the shot, instead of 1d12 points of damage, before adding any damage modifiers. Precision damage and extra damage from weapon special abilities (such as flaming) are added with damage modifiers and are not increased by this deed. If one or more rolls are critical threats, she confirms the critical once using her highest base attack bonus –5. For each critical threat beyond the first, she reduces this penalty by 1 (to a maximum of 0). The gunslinger only misfires on a dead shot if all the attack rolls are misfires. She cannot perform this deed with a blunderbuss or other scatter weapon when attacking creatures in a cone. The gunslinger must spend 1 grit point to perform this deed.

Startling Shot (Ex): At 7th level, a gunslinger with least 1 grit point can spend a standard action to purposely miss a creature that she could normally hit with a firearm attack. When she does, that creature becomes flat-footed until the start of its next turn.

Targeting (Ex): At 7th level, as a full-round action, the gunslinger can make a single firearm attack and choose part of the body to target. She gains the following effects depending on the part of the body targeted. If a creature does not have one of the listed body locations, that part cannot be targeted. This deed costs 1 grit point to perform no matter which part of the creature she targets. Creatures that are immune to sneak attacks are immune to these effects.

•  Arms: On a hit, the target takes no damage from the hit but drops one carried item of the gunslinger's choice, even if the item is wielded with two hands. Items held in a locked gauntlet are not dropped on a hit.

•  Head: On a hit, the target is damaged normally, and is also confused for 1 round. This is a mind-affecting effect.

•  Legs: On a hit, the target is damaged normally and knocked prone. Creatures that have four or more legs or that are immune to trip attacks are immune to this effect.

•  Torso: Targeting the torso threatens a critical on a 19–20.

•  Wings: On a hit, the target is damaged normally, and must make a DC 20 Fly check or fall 20 ft.

Acertos e Danos:

Acerto: 8 + 4 + 1 = 13
Terceiro disparo: 3 + 4 + 1
Dano: 4 + 1 + 1d8

Mão Hábil: 13 / 13 / 8
Mão Inábil: 13 / 8

Acerto com o Revólver: +1
Point Blank: +1
(Esses dois +1 anulam minha penalidade de -2 por usar duas armas)

Perícias:

Pontuação: [4 (base classe) + 1 (mod. int.) + 1 (humano) + 1 (bônus/level)] * 8 = 56
Legenda: GR = Graduação; PF = Perícia Favorecida; Mod = modificador da perícia chave; BG = Bônus Gerais.

Perícias de classe
Acrobacia (Des): 2 [GR] + 3 [PF] + 4 [Mod] = 9
Blefe (Car): 1 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 5
Escalar (For): 2 [GR] + 3 [PF] + 0 [Mod] = 5
Ofício (Int): Pesquisadora 5 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 9
Adestrar Animal* (Car): 1 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 5
Curar (Sab): 2 [GR] + 3 [PF] + 3 [Mod] = 8
Diplomacia (Car) [Background] : 7 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 11
Intimidar (Car): 1 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 5
Conhecimento (Engenharia) (Int): 8 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 12
Conhecimento (Local) (Int): 3 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] =  7
Conhecimento (Nobreza) (Int) [Background]: 6 [GR] + 3 [PF] + 1 [Mod] = 10
Percepção (Sab): 8 + [GR] + 3 [PF] + 3 [Mod] =  14
Profissão (Sab) [Designer de Armamento] 3 [GR] + 3 [PF] + 3 [Mod] = 9  
Cavalgar (Des): 0 [GR] + 4 [Mod] =  4
Prestidigitação (Des): 4 [GR] + 3 [PF] + 4 [Mod] = 11
Sobrevivência (Sab): 1 [GR] + 3 [PF] + 3 [Mod] = 7
Nadar (For): 2 [GR] + 3 [PF] + 0 [Mod] = 5

Talentos:

Talentos:

- Deadly Aim: Troca bônus de ataque por dano (Tira 1 de acerto e ganha 2 de dano). Ao passar de 4, a penalidade aumenta em 1 ((5)) para dar 8 de dano. [Penalidade em todos os disparos]
- Point-Blank Shot: +1 de acerto e de dano até 30 ft.
- Rapid Shot: Um ataque extra. (3 tiros por turno / Tiro extra com a mão direita) Ao passar de nível, 3 tiros com a mão direita e um com a esquerda.
- Two-Weapon Fighting: Reduz a penalidade de duas armas. (- 2 em acerto em cada um)
- Weapon Focus: Bônus de +1 em todas as jogadas de ataque com a arma selecionada.
- Improved Two-Weapon Fighting: Ataque adicional com a segunda mão.
- Mobility: +4 CA contra ataques de oportunidade
Arma selecionada: Revólver.

Personagem:

Background:

BackGround:
Audrey nasceu da família dos Keenary, pertencentes à aristocracia de Gaia.
Sétima (e última) filha de Sir Wiston Keenary e de sua esposa Adella Arson Keenary Whelan, Audrey era uma criança ainda quando demonstrou curiosidade pela enorme biblioteca dos Keenary, sendo chamada constantemente de Cat-Audrey, pela semelhança com um gato furtivo quando ficava à espreita dos livros e da grande mansão de sua família.
Os olhos brilhantes ofuscavam as páginas dos livros e relatórios que a menina devorava com gosto. Nunca foi fã das grandes reuniões e odiava especialmente usar o vestido rosa armado para os bailes de debutantes que eram constantes no mundo da grande Aristocracia de Arsin.

Um dia, durante um baile de comemoração que acontecia na casa dos Keenarys, um homem gordinho e baixo entrou munido de uma pistola cheia de mecanismos e atirou em uma convidada: era um assassino. O homem correu, derrubando a arma para debaixo de uma das mesas, fato que apenas a pequena Audrey havia notado. Enquanto a milícia corria atrás do assassino e as pessoas acudiam a jovem
convidada, a pequena ruiva foi embaixo da mesa resgatar o instrumento. A admiração pela tecnologia era bem ambígua para a menina, visto que ela era apaixonada pelas histórias que envolviam o passado e os continentes de Elyin e Dracma. Gostava especialmente quando citavam os sáritos e goblins. Sonhava com as Dríades, Ninfas e tinha pesadelos com bruxas horrendas e suas escamas brilhantes e tenebrosas.
Mas o aparato ali em suas mãos... era tão valioso quanto aquelas histórias.
Audrey pegou o revólver e subiu as escadas até seu quarto. Quando percebeu que estava sozinha e segura, fitou novamente a arma tão bonita que segurava em suas mãos. A limpou com cautela e a guardou em um fundo falso de seu armário.

Após aquele dia, Audrey observava o instrumento todas as noites, curiosa para saber de onde ele teria vindo e quem havia criado aquela tecnologia tão refinada e tão diferente das armas que a milícia usava.
Quando completou 18 anos, sua família fez sua festa de apresentação à sociedade. Vestiu relutante um vestido verde e desceu as escadas em espiral.
Naquela noite não houve nenhum assassinato, mas dentro do coração de Audrey, a menina curiosa havia crescido e poderia conhecer o mundo com seus próprios olhos.

Audrey pesquisou em diversos livros e com algumas pessoas sobre quem criava tais mecanismos e descobriu que havia um homem que fazia o design de diversos tipos de instrumentos, inclusive algumas pistolas. Animada, saiu em uma tarde em busca desse lugar. Furtiva, foi andando pelas ruas com os cabelos soltos e levemente encaracolados balançando. Um visos acoplado na cabeça, um corselet preto e com detalhes em couro e rendas, uma bota até o joelho cheia de pequenas engrenagens, um pequeno short/saia e uma meia-calça.

Ao encontrar o homem, foi recebida primeiro com um ar de desconfiança. O velho tinha uma barba branca e visores enormes nos olhos. Tudo em volta era cheio de engrenagens, desenhos técnicos, peças sobressalentes e muitos relógios. O nome do homem era Cornelius Bridge.
Audrey mostrou a pistola que carregava e, para sua surpresa, aquele homem havia feito o design dela. Ele logo viu valor nos olhos brilhantes da menina ruiva e a pediu para descer até a oficina dele.
Os dois entraram em um elevador e desceram por quase meia-hora.
Ao chegar lá embaixo, o segundo andar, o homem declarou que ali era Elyin, o continente médio, e que ele fornecia suas maiores criações ali, em uma pequena loja.

Audrey ficou encantada com tudo o que via e começou a ajudar o homem a projetar armas. Ela usava seus conhecimentos teóricos dos milhares de livros que havia lido para ajudar o velho gênio analfabeto a criar armas e mecanismos diferentes e inovadores.
Foram dois longos anos indo furtivamente à loja de Cornelius, que virou seu grande amigo e companheiro.

Um dia, Audrey Eve foi fazer uma entrega para uma associação no final de Elyin. Carregando um pacote enorme, ia andando pelas ruas que agora conhecia com seus próprios olhos.
Ao chegar em uma pequena cabana em um local com uma árvore enorme, bateu à porta, fazendo um sinal conhecido como "Cornelius Sinalis".
Porém ninguém atendeu. Ao bater novamente, a porta abriu.
Cat-Audrey entrou com cautela, pedindo licença. Um silvo e alguns sinos balançavam dentro da casa. Ali dentro, se deparou com um local escuro, apenas iluminado pelo brilho de diversas arcaninas!
Fascinada, ela observa por alguns segundos as diversas gemas ali espalhadas, se esquecendo completamente que estava ali para fazer uma entrega.
Após alguns segundos apreciando, se levantou do chão e colocou o pacote em cima de uma mesa. Quando olhou para o fundo da cabana, notou que ele se fundia com a árvore que havia avistado antes de entrar no local.
Caminhando até o fundo dali, acabou tropeçando em uma raíz e começou a cair.
A queda era enorme dentro do tronco da árvore e a menina teria morrido se não tivesse conseguido se segurar no último segundo em uma raíz.

Ao se pendurar na raíz da árvore, arcou o corpo para cima e se sentou em um vão e contemplou um local completamente diferente de Arsin. Envolto em diversas árvores, cachoeiras... só podia ser Dracma.

Audrey observou atônita o local, a boca esbranquiçada pelo susto de quase morrer. Ao longe, uma pequena fada se movimentava nervosamente, observando o mundo de cima. A ruiva ficou ali observando sem conseguir acreditar que as fábulas e histórias proibidas não conseguiam descrever
nem metade da visão que ela tinha ali. Um mundo embaixo de Elyin, um mundo místico.
Depois de muito esforço, Audrey conseguiu escalar a árvore através de uma pequena escada feita de madeira e pedra que contornava o tronco por dentro.

Ainda projetou uma nova pistola juntamente de Cornelius que funcionava com o poder de arcaninas, as quais "pegou emprestadas" da velha cabana antes de sair.
Depois dessa experiência, Audrey teve certeza que Arsin escondia muitas coisas do mundo e que Gaia era maior do que os livros podiam contar. Continuou estudando ávidamente sobre Dracma e Elyin, indo atrás de pistas de uma guerra que havia se desenrolado há muito tempo, sobre os segredos das magias... e do que o Conselho de Camael escondia.

Família Keenary Whelan:


Nossa família é responsável por diversos serviços e prestamos apoio às Casas menores. Doamos dinheiro todos os anos para as Instituições do Progresso, salientamos o uso do conhecimento e vamos para grandes inaugurações. O ramo principal que trabalhos é com a Embaixada, a Igreja, um segmento da Polícia de Arsin e a Forja de Arsin.

Pais:

Wiston Keenary Whelan, 52 anos.
Adella A. Keenary Whelan, 48 anos.

Irmãos:

O mais velho era Aaron Cranelly Keenary Whelan, atualmente com 29 anos, casado com a Miss Editha Cranelly.

A segunda filha, Adda A. Keenary Whelan, atualmente com 27 anos, casada com Lord Eric Elswood.

Os gêmeos Giles e George Keenary Whelan, atualmente com 26 anos, noivos da senhorita Isabel Doonican e Estella Ruxton, de duas casas menores da Arsin.

Susanna Keenary Whelan, a quinta filha, atualmente com 25 anos. Susanna nasceu com um problema de respiração e passou a infância confinada na Mansão Keenary. Quando completou 15 anos, foi apresentada para a Sociedade e, encantada com o mundo da Aristocracia, se envolveu com um gerente do Moulin. Virou dançarina burlesca por muitos anos, até que se casou com o Senhor Ernest Ginski e "limpou" o nome Keenary. Mas continua trabalhando no Moulin.

O sexto filho, Comandante Calvin Arson Keenary Whelan. O único que possui o sobrenome de mamãe, tem atualmente 24 anos, sendo apenas um ano mais velho que eu. Trabalha para a polícia do ar, em Arsin, dono de Zepelins da linha Keenary, em um dos segmentos que a nossa casa apóia.

Diário:


Lema da Casa Keenary: Impavidum Ferient Ruinae (As dificuldades não me amedrontam)

--

A Aristocracia difundia ideias puritanas, mas os pais não passavam muito tempo com seus filhos. Era uma Mansão grande e fria, o pai sempre ocupado com os afazeres de um Lord e sua mãe estava sempre indo aos eventos e seguindo protocolos. Ela era Lady Adella A. Keenary Whelan, a senhora do Parlamento dos Aristocratas, um ramo do grande Conselho, dirigido apenas por nobres.
Apesar de Adella, ou melhor, minha mãe ser uma mulher forte, ainda era muito "aristocrata frufru" para o meu gosto.

--

Isso me faz lembrar de quando estive doente e uma das amas de leite me deitaram na grande cama da mansão e me desceram goela à baixo um xarope muito gelado. Fiquei acamada, mas depois, por algum milagre, continuei viva. O xarope não surtia mais efeito e eu teria morrido... mas Eli me poupou de morrer ainda criança, o que não era tão incomum naqueles tempos. Era a doença do novo século e a ela, chamavam de Peste do Sono e levava quem a tivesse até a morte em menos de uma semana.
Agora, eu havia sentido meu corpo quase dormente, a visão turva, como se todos os ossos estivessem fora do lugar. Era como ter voltado para os meus 8 anos de idade, vendo vultos e dormindo há qualquer instante enquanto perdia os movimentos do corpo.
Mas, eu havia sido poupada. Costumam dizer que gatos possuem 7 vidas. Eu ainda tinha cinco, segundo as minhas contas. Deveria ser mais cautelosa...

--

Vejo a mansão, homens e mulheres em roupas suntuosas. Estou de volta ao dia em que encontrei a pistola.

Uma de minhas irmãs desce a escada com seu longo vestido de cauda, pregas e um corselet à mostra, cheio de pequenas rendas. Ela estava linda, descendo sorridente e acenando, mas aquilo não me empolgava.
Estava debaixo da mesa, comendo um pequeno doce todo enfeitado com açúcar branquinho por cima, me escondendo das possíveis fotos que fossem exigidas e pelas apresentações chatas.
Meu pai conversa com homens de farda.
Minha mãe conversa com duas Ladys recém iniciadas ao mundo da Aristocracia e a Duquesa Dareny, uma mulher de cabelos castanhos, olhos muito maquiados e uma boca muito fina e desproporcional. Apesar do estilo muito refinado, Dareny estava querendo reunir mulheres para trabalhos em uma fábrica que a sua família havia inaugurado.
De repente, minha mente salta para a pistola escorregando para debaixo de uma outra mesa, do outro lado da que eu estava. A sensação de ter um achado só meu... o medo do assassinato havia passado por alguns segundos, era o primeiro momento de Cat Audrey. Meu estrelato não demoraria muito, os dias mais felizes da minha vida só teriam que esperar alguns anos.
Corri sorrateiramente, a balbúrdia acontecendo. Minha irmã Abby, recém debutada, deixava a maquiagem borrar pelas lágrimas.
"Está tudo arruinado", ela gritava chorando, sujando a luva branca de seda.
Quando alcancei a arma, tudo se esvaneceu e estava ali, desenhando uma pistola nova com meu amigo Cornelius. Ele me dava leves tapinhas nas costas parabenizando meu feito. Havíamos unido o útil ao agradável e graças às diversas histórias, lendas, teorias e informações que eu colhia, Cornelius dava mais identidade e criatividade para cada projeto.
De repente, eu estava com o corpo dolorido. O oriental gritava alguma instrução que eu não ouvia. O mundo explodia fora de Epoch e caíamos.
Cornelius praguejava que era cedo demais, mas eu estava pronta para o que viesse.

--
Hoje é meu segundo dia. Durante a noite sonhei com minha família, naquele aniversário de Kateryn... sonhei com Cornelius, o achado da minha pistola... tudo foi muito rápido e dolorido. Eu não sabia que memórias doíam tanto.
Kateryn passou o resto do ano chorando pela sua festar ter sido estragada e, de quebra, as luvas de seda que havia ganhado de um alfaiate muito famoso de Arsin. Ela seria apresentada ao seu pretendente no continente superior, Eric Elwood, três anos mais velho que Kateryn e ótimo na esgrima. Mas devido à confusão que aquele homem rechonchudo e de pouca estatura ocasionou na festa, os dois vieram a se encontrar uma vez em uma apresentação das irmãs Andynis, damas do burlesque no teatro Moulin, mas não puderam conversar. Seria o que chamam de "Quebra de protocolo" e damas devem seguir à risca.
Mais tarde, se encontraram ali, sentados em uma mesa próxima da escada de onde eu desceria e seria apresentada para a sociedade. Também me foi apresentado um pretendente, sir Gerard Hargate e, embora fosse um homem muito bonito, nunca havíamos conversado. Sempre fui contra a corrente e imaginei que isso fosse me trazer mais problemas.
Naquele dia, o protocolo me permitia dialogar com meu pretendente e ele fora, realmente, muito respeitador. Mas [...]"

--

- Veja bem, Lord Wiston! Mais um negócio que abrirmos, poderemos conquistar a borda oeste de Arsin inteira.

- Não posso financiar isso mais, Marquês Donagan. Não posso arriscar mais, estamos em um momento delicado! Não compreende? Adda poderia ter sido assassinada por um gordalhão que invadiu minha festa! Não compreende o estado grave em que ficamos?
- Compreendo, senhor, mas não é hora de jogar os seus assuntos familiares em cima dos negó...
- Donagan, você tem mulher?
- Não, senhor.
- Tem filhos?
- Não, senhor...
- Então nunca poderá me compreender. Não há negócios sem a família. Não há nem nossa posição social sem família. Entendo que estudou muitos anos na Universidade Nacional do Progresso e sabe da importância dos negócios para que continuemos sendo uma parceria, mas peço, por gentileza, que me deixe em paz por alguns dias. Daqui quatro dias, retomamos essa conversa e... Oh, Audrey! Esse é Donagan, meu assessor de negócios.

O homem beija minha mão e sorri:

- Oh, Lady Audrey! Está cada vez mais vistosa, deve encher de orgulho seu pai! Como vão os preparativos para o casamento?

Meu pai me interrompe:

- Eles estão se conhecendo ainda, Donagan... mas logo Audrey terá sua própria família e poderá ser um dos fortes braços dos Keenarys! Certo, Audy?

- Sim, papai. Estou de saída, queiram me dar licença, sim? - faço um meneio e começo a sair em direção à grande porta principal da mansão.

- Para onde você está indo, filha?

- Resolver alguns assuntos... deixo-vos a sós!

--

Uma placa:

Saiba o que o destino lhe reserva!

~ Madame Ursula, senhora da cafeomancia e das cartas ~
Vinda de terras distantes e mágicas diretamente para a Alameda Fehan I no teatro Moulin!
Era uma senhora um pouco gorda e desajeitada com a barra dos vestidos que costumava utilizar, sempre de cores fortes. As vezes gostava de passar por lá e observar Ursula em ação, com os olhos bem vivos em cor de mel.
No centro da mesa, um copo de água com sal, usado para afastar espíritos ruins. Cinco xícaras brancas iam posicionadas na mesa, da mais linda porcelana e completamente trabalhadas artesanalmente.
Ela dizia com os lábios muito vermelhos de batom:

- O café nunca mente. O aroma é inebriante, o gosto é irresistível e a energia que lhe concede é divina! Energia essa que resta ao fundo da xícara e transcende o tempo e a nossa própria existência! IRMIA! IRMIA! Ela retira o que não nos é necessário e deixa apenas o glorioso destino! Abra os olhos e veja...

E aí ela revelava o destino da pessoa.
Eu que sempre vi isso escondida, por curiosidade, pelo silêncio do lugar as pessoas ouviam meu respirar atrás de fartos panos de cor avermelhada e Ursula dizia: "Calma, é apenas o meu gato, Cheshire..."
Mas só eu sabia que nunca houve gato algum ali.

--

Estava segurando minha pequena mochila quando senti uma leve tontura. Pancadas na cabeça não deveriam ser deixadas de lado e menosprezadas, disso eu sabia.
Isso me faz lembrar da cozinheira Pamela passando um unguento em minha nuca, uma vez que havia tentado subir nas prateleiras da cozinha para encontrar arcaninas na casa. Lógico que não encontrei nada e ainda levei um belo de um tombo. Tinha apenas 7 anos, a idade de Megan.


- Para de se debater, lady Audrey! Preciso passar esse unguento, vai ficar melhor e vai tirar o inchaço, senhorita!

- Mas deveriam ter arcaninas espalhadas. Pamela, eu li que as arcaninas abarrotavam a terra depois de um fenô... fenô... argh, que palavra difícil! E PAPAI NÃO PODE SABER, PAMELA! - deixou a cozinheira cuidar do ferimento com medo de papai repreender - Isso dói muito... prefiro os seus bolinhos!

- Oh, arcaninas? De onde eu vim tinham várias! Se, um dia, eu tirar férias e viajar longas distâncias e descer as escadas dos céus, eu te trago uma de presente diretamente do pomar da Senhora Demerys!

- Sua mamãe cultiva arcaninas, Pamela? UAU! Vamos juntas, eu imploro pro papai deixar viajarmos! Vamos ter comida, você sabe fazer aqueles bolos fofinhos e aquele café com açúcar e espuma branca! E mirtilos, eu amo mirtilos e hortelã!

[...]

--

- Lady Audrey, a-mail para a senhora! Chegou essa manhã, enquanto você estava...

- Silêncio, Pamela! Céus, não sabe esconder segredos?

- ... estava fora.

- Então... uma correspondência direcionada à caçula dos Keenarys?

A caligrafia era de extremo fascínio. Um carimbo da família Devonshire e, no verso da carta, o nome: Duque Gerard Hargate Devonshire.

Dentro da carta iam as seguintes palavras:

Lady Audrey Eve,

Seus cabelos, que roubaram a cor das mais belas rosas e seus olhos cor de mel fascinam a muitos homens por essas terras. A senhorita é um vislumbre para nossa Arsin e, creio que deve ser de seu conhecimento que nossas famílias tem negócios unificados. Meu pai, Grã-duque de Devonshire, pretende que nos casemos ainda esse ano. Acreditam que serei um bom marido e que tu seria uma ótima esposa e levantaríamos um ramo forte da família.

Poder vislumbrar seus olhos e ouvir sua doce voz mais de perto seria um enorme prazer.
Por meio desta missiva, gostaria de lhe assegurar que gostaria de conhecê-la antes de aceitarmos qualquer união precipitada. Assim como Kateryn Keenary pode conhecer Eric Elswood, eu, Gerard Hargate, gostaria de conhecê-la melhor e saber mais da doce visão que encanta qualquer homem que ande pelo Continente Superior.

De um pretendente,

Devonshire, Gerard H.

--

- Pane, vou te contar uma coisa! Mas é segredo, tá?

- Eu amo segredos! E pirulitos! E coisas bonitas!

- Eu achei uma pistola! Guardei ela e descobri enigmas malucos!

- Oooh! Será que foi meu papai que fez? Sabia que meu papai faz coisas malucas e legais?

- Imagino, Pane, haha! Sabe outra coisa? Um dia... eu vou conhecer o mundo fora daqui. Imagina o que tem lá embaixo, Pane! Imagina o que tem mais abaixo do embaixo! - olhava para o teto, imaginando as estrelas - Será que um dia eu consigo construir coisas para ajudar as pessoas?

- Meu papai e minha mamãe podem te ajudar! Eles ajudam um moooooonte de pessoas - ela estica os braços, sorridente.

- Xiiiu, Pane! Fala baixo, estamos escondidas, esqueceu? - olhou para os lados, como se qualquer pessoa estivesse vigiando-as - Se estivéssemos na minha casa eu te levaria para nossa biblioteca. Tenho livros interessantes por lá, talvez você gost... - fora interrompida.

- E pirulitos? Quero um bem colorido e docinho! - ela balança a sainha rodada, feliz.

- Oh, talvez Pamela saiba fazer pirulitos de mirtilo... hm, posso providenciar isso, se desejar! Mas, então, você pode ser minha irmã caçula, já que sou a caçula dos meus irmãos! - coloco as mãos nos ombros dela - E eu te treinaria para ser uma lady... aventureira!

- Aventura, eba! Podemos... podemos nadar! E brincaríamos de polícia e ladrão... talvez... ai, Pane não sabe mais!

- Hahahahaha! Você é muito engraçada, Pane! Vamos, experimente esse doce aqui, tenho certeza que vai gostar - ofereço um muffin doce de amoras - e esse é o meu - mordo com vontade.

- Oh! - ela morde, animada - Isso é bom! Eu e o Tentacruel achamos essas festas muito... blérgh!

- Também acho, Pane...

- Não sabia que existia gente de cabelo vermelho!

- É, acho que sou a única, tirando papai. Já vocês Nolepelekos tem cabelos azuis... isso é bem incomum!

- É por causa desse segredo, ó! - ela mostra as orelhas de elfa - Viu? Viu? Eu posso ter vindo de algum lugar mágico!

- DRACMA! Você veio de Dracma, essas orelhas pontiagudas... você pode ser uma fada, Pane! Hahaha, vou escrever sobre isso!

Itens:

Dinheiro:
2560 PO;
Poupança Keenary;


Armas:

Pistola encontrada e adotada:

Pistol
Tipo: Early (Medium)
Alcance: 20ft.
Munição: 1 (capacidade) Black powder/Firearm bullet
Dano: 1d8
Crítico: x4

Revolver de arcanina:

Revolver
Tipo: (Medium)
Alcance: 20ft
Munição: 6 (capacidade) Dragon's breath
Dano: 1d8
Crítico: x4

Alice's hammer:

Warhammer Musket
Tipo: (Medium)
Alcance: 30ft
Munição 1 (capacidade)
Dano: 1d8 + 1
Crítico: x4

Munições:

15 Black Powder.
15 Firearm bullet.
5 Bullet Silver.
5 Alchemical cartridge, dragon's breath.
5 Alchemical cartridge, entangling shot.
2 Alchemical cartridge, salt shot.

Vestimentas:

Calça:


Corselet:


Corselet formal:


Luvas de trabalho:


Luvas formais:


Saia formal:


Touca de gatinha o3o:


Mochila menor:


Mochila maior:


Cinto-bolsa:


Mais:


Audrey criança:


Audrey adolescente:


Adella (Mãe):


Wiston (Pai, mais ruivo que a imagem) :


Aaron (Irmão mais velho):


Adda (Segunda filha):


Giles e George (Gêmeos, sem todas essas firulas roxas):


Susanna (Quinta filha):


Calvin (Sexto filho, comandante de Zepelins. Cabelo mais castanho!):



Última edição por Aleleeh em Ter Ago 18, 2015 5:32 pm, editado 28 vez(es)


"Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários." C. S. Lewis






Audrey / Elizabeth / Liesel /
Chamado
Aly
avatar
Aleleeh
Iniciante

Data de inscrição : 22/12/2012
Idade : 22
Localização : São Paulo - Caern de Sampa
Emprego/lazer : Pseudo-artista

O que sou
Raça: Humana
Classe: Bruxa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por isaac-sky em Seg Maio 12, 2014 6:51 pm

"Pal, this one is going to kick some ass" Jona Hex sobre a personagem acima.

(Caótico Neutro? Vai me nocautear pra roubar meus itens, certeza kkkkkk)




Oi, meu nome é isaac

"Kurayami nara kocchi no mon da"
"A escuridão é minha vantagem"
Zatoichi
avatar
isaac-sky
Guarda Real

Data de inscrição : 21/10/2011
Idade : 25
Localização : Entre Nárnia e a Terra Média
Emprego/lazer : Dominar o mundo/ RPG/ SKA

O que sou
Raça: Humano
Classe: Ninja

http://www.skyisaac.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Aleleeh em Seg Maio 12, 2014 8:41 pm

IAHSIUAHSIUAHSIUAHSIUAH, sou muito boazinha, Isaac u_u


"Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários." C. S. Lewis






Audrey / Elizabeth / Liesel /
Chamado
Aly
avatar
Aleleeh
Iniciante

Data de inscrição : 22/12/2012
Idade : 22
Localização : São Paulo - Caern de Sampa
Emprego/lazer : Pseudo-artista

O que sou
Raça: Humana
Classe: Bruxa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por arcanjosna em Dom Ago 17, 2014 4:56 pm

Teenage Audrey... fiu fiu!!!! kkk na boa... ficha muito legal...


´Os grandes pensadores nunca têm certeza do que dizem. Eu acho...´

avatar
arcanjosna
Guarda Real

Data de inscrição : 22/10/2011
Idade : 28
Localização : Jaboatão-PE... e eu achava paulista atrasado, ó kkk
Emprego/lazer : carteiro FORMADO

O que sou
Raça: Humano
Classe: Shinigami

http://www.cmfreak.net/forum/index.php?showuser=6533

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Aleleeh em Dom Ago 17, 2014 9:56 pm

Valeu, Siiid!


"Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários." C. S. Lewis






Audrey / Elizabeth / Liesel /
Chamado
Aly
avatar
Aleleeh
Iniciante

Data de inscrição : 22/12/2012
Idade : 22
Localização : São Paulo - Caern de Sampa
Emprego/lazer : Pseudo-artista

O que sou
Raça: Humana
Classe: Bruxa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Hayka Alchemist em Seg Ago 18, 2014 1:13 pm

agora que vi o diário... que legal... muito bom *-*
avatar
Hayka Alchemist
Iniciante

Data de inscrição : 18/06/2014
Idade : 23
Localização : São Viselva

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Aleleeh em Sex Ago 22, 2014 7:37 pm

Obrigada, Hayka-chii *-*


"Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários." C. S. Lewis






Audrey / Elizabeth / Liesel /
Chamado
Aly
avatar
Aleleeh
Iniciante

Data de inscrição : 22/12/2012
Idade : 22
Localização : São Paulo - Caern de Sampa
Emprego/lazer : Pseudo-artista

O que sou
Raça: Humana
Classe: Bruxa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Audrey, a Gunslinger

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum