Artigo - Chrono Trigger

Ir em baixo

Artigo - Chrono Trigger

Mensagem por Stein em Ter Maio 05, 2015 7:48 pm



Yo, aldeões, espero que estejam bem!

Como já tinha comentado com vocês, estou dando início a um novo projeto de artigos, começando por uma das sugestões que a galera da Alvanista.com.br me deu: Chrono Trigger! E para os que ainda não sabem, eu e a lindíssima Aleleeh estamos com um projeto de arrecadação de fundos para o nosso casamento nerd, que deve rolar ano que vem, então eu vou sempre deixar aqui um link para a nossa vaquinha comunitária. Quem sentir que pode ajudar na arrecadação, tem nosso eterno agradecimento Clique aqui para conferir nossa vaquinha comunitária.
Clique aqui para conferir nossa vaquinha comunitária

E é isso, galera, boa leitura e bom divertimento ;]

-----------------------------------------------------------------------------------------

Um pouco de história

Em 1995, mesmo ano em que a Nintendo anunciou o Nintendo 64 e a Sony, sua principal concorrente naquela época, lançava o Playstation X, o mundo dos games estava prestes a alçar mais um degrau.
De um lado, a Nintendo havia se negado a aceitar os termos contratuais propostos pela Sony para a implantação de um novo driver de CD no SNES, que exigia ganho sobre uma porcentagem das vendas do aparelho e dos jogos. Desacreditando na capacidade da nova tecnologia e em seu real impacto no mercado de jogos eletrônicos, a Nintendo anunciou a quebra da parceria inicial com a Sony, que remontava desde 1988 (o chip de som do SNES fora desenvolvido pela Sony), e formou uma nova parceria com a Philips.
Era a vez dos CDs dominarem o mercado, e por puro capricho e egocentrismo, a Nintendo se veria em uma terrível saia-justa, perdendo diversas Third Party que a haviam apoiado inicialmente e mesmo exclusividades de desenvolvimento, como ocorreu com a antiga Squaresoft e sua famosa franquia Final Fantasy, hoje assumida pela Square Enix.
Assim, em meio a esse turbilhão de mudanças, fracassos e lições aprendidas, a Nintendo precisava de uma nova carta para ser posta em jogo, e foi quando um ousado projeto de desenvolvimento saiu do forno. Em parceria, Hironobu Sakaguchi (idealizador da série Final Fantasy), Nobuo Uematsu (produtor musical de Final Fantasy), Yuji Horii (criador de Dragon Quest) e Akira Toriyama (desenhista de mangás famoso por obras como Dragon Ball e Dr. Slump), formaram o que ficou conhecido como Time dos Sonhos, com o intuito de criar um jogo novo e revolucionário que chacoalhasse a indústria e desse novo vigor à Nintendo. E assim, foi originado o fabuloso Chrono Trigger, considerado por muitos como o melhor game eletrônico já criado.


Sobre o game

Com belíssimos gráficos em 2D e uma trilha sonora marcante e muito bem trabalhada, Chrono Trigger é um jogo que retira do SNES todo seu potencial de hardware. Valendo-se do estilo de RPG com ações por turno, ele se destacava pelo sistema de velocidade de reação, conhecido como Active Time Battle (presente inicialmente em Final Fantasy IV), onde os inimigos não esperam que o jogador faça sua ação para "fechar o turno" e atacar novamente, tornando o ritmo mais dinâmico e dando o sentido de urgência aos combates. Além disso, o clássico sistema de encontros aleatórios foi substituído por algo muito mais interessante: agora, os inimigos se encontram pelo cenário e o jogador deve enfrentá-los apenas ao cair em uma armadilha ou entrar na área de ação dos monstros. Isso possibilita um senso de realismo maior, permitindo ao jogador desviar de combates inconvenientes, sem que haja a quebra de imersão, já que as batalhas ocorrem no mesmo local do encontro, sem que exista a desconstrução do cenário atual (como vemos em Final Fantasy, Pokémon e futuramente em Digimon, Chrono Cross e tantos outros).



Inicialmente, o jogador é colocado na pele de Crono, um humano comum que vive no ano de 1000 A.D no Reino de Guardia, e pretende se encontrar com sua amiga cientista, Lucca, numa festividade local chamada Feira do Milênio. Ali, nosso herói conhece Marle, uma loirinha simpática que acompanha Crono pelo festival até o local onde Lucca leva a público sua mais nova invenção: uma Máquina de Teletransporte. Estão sentindo o cheiro de treta?
Quando Marle se candidata para testar o novo invento, contudo, a máquina de teletransporte sai do controle ao entrar em reação com seu colar, e abre um portal do tempo, tragando a garota e deixando apenas o pingente em seu lugar. Bravamente, como era de se esperar, Crono se propõe a ir atrás da garota (mais tarde seguido por Lucca), e é assim que se inicia uma série de acontecimentos reveladores que introduzirão pouco a pouco os sete personagens finais que comporão o grupo, além de caminhar a trama para seu propósito final: o de impedir Lavos, uma terrível criatura alienígena que deseja absorver a energia vital do planeta Terra e destruir toda a forma de vida presente aqui. No game, além de Crono, nós teremos a ajuda de Ayla, a chefe de uma vila de humanos que habita a pré-história e é talvez e bebedora de sopa mais rápida do mundo; Frog, um honrado e bravo cavaleiro do Reino de Guardia que foi transformado em um sapo humanóide por um poderoso feiticeiro de sua época; Marle, a princesa de Guardia que não aguenta mais a vida de dondoca e deseja desbravar o mundo em busca de aventuras; Lucca, uma brilhante cientista capaz de criar e consertar os maquinários mais malucos, o que inclui Robo, um carismático e inteligente robô de batalha enferrujado que perdeu a memória; e, por fim, Magus, um homem tão dominado por sua busca cega na obtenção de poder que se encontra entre as duas tênues linhas que definem um homem e um monstro (personagem este que pode ou não se unir ao grupo mediante uma escolha crucial do jogador).



Recheado de referências, desde mitologias a artistas do mundo do rock, Chrono Trigger possui uma história que é ao mesmo tempo divertida, engraçada, densa e filosófica, abordando temas como racismo e separatismo, intrigas políticas, busca pelo poder, trevas pessoais, redenção, encontro de uma personalidade própria e de um lugar no mundo, as mudanças feitas pelas menores escolhas no passado e a jornada de um herói que vem de lugar nenhum e desencadeia uma série de eventos que podem mudar o destino da Terra. Ou não. É isso mesmo: Chrono Trigger tem finais alternativos, no plural.

Tendo como marca registrada a possibilidade de viajar pelo tempo e alterar os eventos históricos, o game leva o jogador pela pré-história, onde um Rei Lagarto pretende dizimar a humanidade para ascender sua própria raça ao domínio do planeta; pela Era do Gelo, onde uma rainha louca encontra uma nova e perigosa fonte de poder para alimentar seu país flutuante; por um passado medieval onde um rei é iludido pela trama sombria de um monstro ardiloso, que pretende acabar com a Família Real pela raiz; por um futuro dominado pelas máquinas onde a humanidade foi quase completamente extinta , dando cenário a um mundo pós-apocalíptico sombrio e misterioso; e, finalmente, ao Fim dos Tempos.
Com um repertório grande de missões secundárias, Chrono Trigger traz explicações para quase todas as pontas do roteiro, deixando algumas abertas de forma proposital, com o intuito de tirar um pouco de reflexão do próprio jogador, como, por exemplo, o quê é Lavos e sua importância para o desenvolvimento da própria humanidade. Essas discussões alimentam fóruns especializados no assunto pelo mundo todo, e a trama de Chrono Trigger é tida como uma obra de arte a ser estuda, usada como referência e lembrada com carinho até hoje.




Sete Curiosidades sobre o game

1- Chrono Trigger, Radical Dreamers e Chrono Cross
Chrono Trigger teve uma continuação oficial lançada pela própria Squaresoft em 1996 (originalmente apenas em território japonês), chamada Radical Dreamers, também para Super Nintendo, podendo ser habilitada através do acessório Satellaview (uma espécie de modem via satélite do SNES). O game, contudo, é baseado em textos, com poucos gráficos apresentados na tela, num estilo popular no Japão chamado Storybook, que apresenta a trama em um formato semelhante aos famosos livro-jogos de Steve Jackson de aventura solo.
Em Radical Dreamers, um bardo chamado Serge narra uma aventura onde ele e outros dois aventureiros, Kid, a ladra, e Magil, o mago mascarado, invadem a mansão de Lynx para roubar uma relíquia conhecida como Frozen Flame, dando sequência direta à ordem cronológica de um dos finais alternativos de Chrono Trigger. Notou alguma relação com o enredo de Chrono Cross? Pois Radical Dreamers foi realmente usado como base para sua criação, onde é dito que tudo se passa em universos paralelos, contendo muitas semelhanças entre si. Assim, Chrono Trigger e Chrono Cross se passariam no mesmo mundo, havendo referencias sutis ao primeiro no segundo, contudo, as histórias se passariam em realidades paralelas e Chrono Cross não seria uma continuação direta de Chrono Trigger.
Em 2003, fãs da série Chrono lançaram uma tradução não-oficial de Radical Dreamers traduzida para o inglês, tornando possível a compreensão da trama.

2- Tentativas de continuação não-oficiais
Existem ainda outros jogos não-oficiais, como Chrono Resurrection e Chrono Trigger: Crimson Echoes, sendo o primeiro uma remasterização do jogo em 3D (descontinuada após uma ameaça de processo fortíssima), enquanto o segundo é uma suposta continuação da história de Chrono Trigger (que vazou na internet e pode ser encontrada ainda hoje).

3- Arte de Capa
O desenho da capa de Chrono Trigger foi inspirado em uma das telas da versão de protótipo do game.



4- A origem de alguns nomes
- Crono é o Deus do Tempo, segundo a mitologia nórdica, e era tido como o líder dos Titãs.
- Ayla, nos livros Clan of the Cave Bear, de Jean M. é o nome de uma personagem pertencente à pré-história, também semi-inteligente.
- Magus vem do latim, e significa "alguém que usa magia". Janus, que é o nome verdadeiro desse personagem, faz menção a um deus com duas faces, uma via do passado e outra do futuro, fazendo clara referência à história pessoal de Magus, que viu ambos os tempos.
- Ozzie, Slash e Flea são nomes dados em três chefões do game em homenagem às estrelas do rock Ozzy Osbourne (Black Sabbat), Slash (Guns n' Roses) e Flea (Red Hot Chili Pepers).
- Nu, segundo o vocabulário grego, é o fluido do qual todo o Universo foi criado.
- Melchior, Belthasar e Gaspar são nomes de três sábios citados na bíblia.

5- Zeal e... Atlântida?
12.000 A.C. é a época em que se acredita que Atlântida foi engolida pelo oceano, a mesma época no game onde é mostrado o reino de Zeal, que tem um destino muito semelhante.

6- Versões em outros consoles
Futuramente, surgiram as versões para PlayStation e Nintendo DS, que possuem os mesmos gráficos da versão de Super Nintendo, porém a versão lançada para o DS faz uso de outro sistema de som, com leves características modificadas. Ambas possuem a adição de vídeos animados em estilo animê, desenhados por Akira Toriyama, mostrando cenas da história do jogo. A versão de PSX foi vendida num pacote chamado Final Fantasy Chronicles, que contém Chrono Trigger e Final Fantasy IV. A Versão DS foi adaptada para se jogar com as duas telas do aparelho, além de melhorias na tradução do texto.

7- Finais alternativos
A versão original de Chrono Trigger, para SNES, e também a de Playstation X, contam com catorze finais alternativos que dependem das escolhas feitas pelo jogador e também do momento na trama em que se derrota Lavos. Na versão para Nintendo DS, foi adicionado mais um, totalizando quinze finais alternativos.

-----------------------------------------------------------------------------------------

E é isso, galera, essa foi a review do belíssimo game Chrono Trigger, uma peça reluzente de ouro gamístico que eu indico fortemente por ser um game muito importante tanto para a história dos jogos, quanto para o meu desenvolvimento pessoal, pois ele fez parte da minha infância e foi para mim um formador de caráter. Espero que tenham gostado e até a próxima! ;]



A sorte favorece a mente bem preparada


avatar
Stein
Alquimista

Data de inscrição : 21/10/2011
Idade : 27
Localização : São Paulo, nas redondezas de Shibusen
Emprego/lazer : Programador de Sistemas e alquimista insanamente louco nas horas vagas

O que sou
Raça: Humano
Classe: Alquimista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Artigo - Chrono Trigger

Mensagem por isaac-sky em Ter Maio 05, 2015 8:35 pm

Muito boa review Stein!

Já arrisquei uma review de CT uma vez, mas era algo menos técnico e mais experiência pessoal kkk curti teu texto!



Oi, meu nome é isaac

"Kurayami nara kocchi no mon da"
"A escuridão é minha vantagem"
Zatoichi
avatar
isaac-sky
Guarda Real

Data de inscrição : 21/10/2011
Idade : 24
Localização : Entre Nárnia e a Terra Média
Emprego/lazer : Dominar o mundo/ RPG/ SKA

O que sou
Raça: Humano
Classe: Ninja

http://www.skyisaac.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Artigo - Chrono Trigger

Mensagem por Stein em Qua Maio 06, 2015 1:03 pm

Valeu, cara, foi muito divertido pesquisar sobre o mercado na época e as curiosidades xisde



A sorte favorece a mente bem preparada


avatar
Stein
Alquimista

Data de inscrição : 21/10/2011
Idade : 27
Localização : São Paulo, nas redondezas de Shibusen
Emprego/lazer : Programador de Sistemas e alquimista insanamente louco nas horas vagas

O que sou
Raça: Humano
Classe: Alquimista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Artigo - Chrono Trigger

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum