Não tem título pessoal (não deu pra pensar) - 2 capitulo

Ir em baixo

Não tem título pessoal (não deu pra pensar) - 2 capitulo

Mensagem por LUandJU em Sab Jun 02, 2012 1:18 pm

O moreno se encontrava em uma cadeira de madeira, olhando a jovem morena de cabelos curto observando a piscina. A jovem ia em direção ao moreno, ela se sentava em uma cadeira ao lado dele. Os dois ficavam vermelho por esta sozinhos no local, já que a madrasta de Byakuya não se encontrava na casa. Byakuya ouvia uns tiros vindo de dentro da casa, Rukia se assustava pois todos empregados estavam nela e os dois ouviam gritos, até que um homem de terno preto segurando um pistola abria a porta de vidro de trás da casa e olhava pra Byakuya e Rukia.
- Eu os achei! – Gritou o homem avisando aos outros. O homem de agachava-se e apontava na cabeça de Byakuya. – Eu irei te matar. – O homem soltava o dedo do gatilho e uma bala vinha em direção a cabeça de byakuya, mas antes de chega Byakuya desvia e empurra Rukia fazendo ela cair dentro da piscina. A bala que vinha em direção ao Byakuya bate na arvore, Byakuya observa a Rukia desesperada.
- B-Byakuya! – Disse a jovem se afogando. – E-eu eu n-não s-sei n-nadar!! – Disse a Rukia afundando na piscina funda.
- Rukia! – Disse Byakuya, se abaixando dos tiros que ainda ocorriam no momento. O jovem moreno pegava uma arma que esta pregada debaixo da mesa onde se encontrava antigamente e atira na certa no crânio do homem. O jovem moreno deixa cair a arma e pula dentro da piscina pra salvar Rukia, o jovem pegava Rukia que estava no fundo da piscina e a levantava para cima.
O jovem a colocava ela na beira da piscina e a mexia, mas ela não acordava, Byakuya se levantava com a camisa toda molhada e a carregava para o portão de trás da casa e a coloca no carro e saí em seguida.
--
Byakuya parava o carro numa estrada vazia, ele observava Rukia acordando ela torcia um pouco e tava febril, o jovem tentava tirar a camisa dela, mas a jovem morena não o deixava ele a tocar.
- Rukia! Me deixe ajuda – lá.
- E-eu não preciso de sua ajudar. – Disse Rukia num to baixo e fraca.
Byakuya tocava no rosto de Rukia. – Você esta quente... – Disse o jovem olhando pra ela. Rukia ficava vermelha no momento e se levanta com um pouco de esforço.
- O que aconteceu lá na sua casa? – Disse ela.
- Eu ainda não sei.
- N-Byakuya... – Disse a morena num tom nervoso.
- O que foi? – Disse ele se virando a ela.
- A-a sua m-mãe, ela ela... – Disse Rukia ainda mais nervosa.
- O que tem minha mãe?
- Ela que contratou os homens para te matarem. – Disse Rukia virando-se para o vidro do carro.
- O que? – Byakuya já não se assustava, mais não imaginava tal coisa da madrasta dele.
- Eu uma vez, ouvir uma conversa dela com Urahara, eles estavam falando em roubar sua herança, pois sua madrasta não vai herda nada da família, a não ser se você morrer.
- Aquela... – Byakuya não conseguiu terminar sua frase, pois ouvia de longe um barulho de carro veloz vindo em direção a eles. – Eles nos acharam. – Byakuya da a macha ré no carro e saia numa alta velocidade, Rukia fica nervosa mais animada mesmo doente, parecia que ela estavam participando de uma corrida de carro, ate por que aparentava no momento, e ela adora isso.
- Rukia temos que pular do carro – Disse Byakuya ainda dirigindo em alta velocidade.
- O que!? – Disse Rukia numa adrenalina imensa.
- Sim, pois nosso carro vai bater contra o dele.
- Mas você não pode atirar nele?
-Não tenho poucas balas e muitos iram atrás de nós, este é o único jeito.
- É.... – Disse ela num tom de duvida e sorrindo desconfiada. – Ta bem né...
- Tudo bem eu irei pular junto com você, só preciso colocar o carro dele na posição certa e teremos que pular na hora certa também, você terá que subir no meu colo na hora que eu vira o carro.
- Hai! – Disse Rukia um pouco vermelha.
Byakuya ia em alta velocidade, enquanto o carro que os perseguia vinha atrás. – Chegou a hora Rukia!. – Byakuya vira o seu carro Rukia sobe no colo de Byakuya e o moreno abre a porta agarrando Rukia e pulando do carro. O carro preto de choca com o do que perseguia causando uma grande explosão, Byakuya cobre o rosto de Rukia e os pedaços carro se destroem com impacto. Ao terminar a explosão Byakuya se levanta e ajudar a morena a se levantar.
- Vou ligar pro meu amigo. – Disse Byakuya pegando o seu celular.
- Pra quem vai ligar? – Perguntou à jovem um pouco curiosa.
- Para o Hitsugaya, é um amigo meu muito bom em armas, seu pai é um mafioso, não foi a toa que meu pai me ensinou a tira – Disse o jovem rindo baixo. – O pai dele dava aulas pra mim de tiros, e seu filho também nos dois somos muito amigos desde então.
--
Um carro preto vinha em direção a Rukia e Byakuya, o carro parava, saia dele um jovem baixo, que ate tinha aparência de 13 anos mais com o cabelo grande e branco, Rukia ria baixo.
- É ele o Hitsugaya, mas ele é uma criança. –Disse Rukia rindo.
- Ei você! – Hitsugaya apontava pra Rukia. – Não ria de mim. – Disse o jovem de cabelos brancos.
Rukia ficava parada olhando o jovem.
- Me desculpe... – Disse a jovem se jeito.
- Tudo bem Rukia-chan ^^ - Disse Hitsugaya sorrindo.
- Como você sabe o meu nome ? O.O – Disse a jovem assustada.
- O Byakuya me contou sobre você. ^^ - Disse ele o jovem.
- Ele é o meu amigo Rukia, deveria saber que conto. ¬¬ - Disse Byakuya.
- Vamos! – Disse o moreno de cabelos brancos.
Byakuya pegava a mão de Rukia e levavam ate o carro, a garota ficava atrás do banco, enquanto os dois jovens ficavam na frente.
- Meninos sei que vocês precisam conversa, então, vou dar uma cochilada aqui no banco de trás. – Disse Rukia e deitando e bocejando.
- Durma bem Rukia-chan. – Disse Hitsugaya. Byakuya olhava pra ele com olha torto, tipo com aquele olhar “Não pense nela, ela é minha”.
- Durma bem Rukia. – Disse Byakuya.
Os garotos saíram do carro e foram pra frente dele.
- Então porque me chamou Byakuya. – Disse Hitsugaya.
- Bem, minha madrasta que me matar. – Disse Byakuya diretamente.
- Uou! O que?! – Disse o menino de cabelos branco assustado. – Então você quer matar ela, é isso?
- Sim, ela quer possuir a herança do meu pai, ela já mandou uma quantidade enorme e assassinos pra mim, a minha sorte que conseguir matar todos e ainda proteger a Rukia. – Ele ria um pouco.
- Então, me diga, como a Rukia-chan foi parar no meio disso? – Disse Hitsugaya um pouco curioso.
- Ela é minha tutorar de aulas, eu estava com notas baixa, porque eu me ocupava muito com a empresa do meu pai, bem, deixei a responsabilidade agora pra Shihouin Yoruichi, ela descobriu que eu administro muito bem a empresa sozinho, então, deve ser por isso que me matar, eu não preciso depender dela. – Disse ele agora meio serio.
- Byakuya, você sempre conseguiu fazer as coisas por si próprio, ela já devia saber que você conseguiria administra a empresa. – O jovem voltava a olha Rukia dormindo.
- Bem... – Disse Byakuya a olhar a morena também. – Agora eu sou o alvo dela, preciso de sua ajudar, quero matá-la.
- Uou! – Deu à segunda vez a reação de susto. – Serio?! Porque vocês se conhecem um bom tempo entende?
- Entendo, mais porei a vida não só a minha, mas como a de Rukia e de outros, não quero isso, e aliás, ela não é uma pessoa boa e sim ruim, temos que matá-la. – Os dois voltavam ao carro.
- Bem... Se quisermos matá-la e seus homens. – Dizia Hitsugaya. – Vamos a minha casa, tenho um armamento enorme, e mais uma coisa...
- O que? – Perguntou Byakuya.
- Ela sabe atirar? – Apontou Histugaya pra Rukia.
- Não – Respondeu Byakuya.
- Então teremos que lhe ensinar, as pessoas que lidaremos não vão fácies.
Byakuya ligava o carro e saiu da estrada ate em direção a casa de Hitsugaya, a jovem Rukia já tinha acordado no meio da viagem, e eles a explicaram todo plano, a jovem estava animada ela era doida pra atirar, apesar de ser meio desastrada com tudo a sua volta. Os dois garotos saiam conversando e Rukia saia logo atrás, a jovem se assustou com o tamanho da casa, ela tinha uma piscina enorme na frente, Rukia se afastava um pouco dela, não queria que acontecesse como na ultima vez que chegou perto de uma piscina.
- Bom esta é minha humilde casa... – Espalhava um sorriso largo no rosto de Hitsugaya.
- Humilde?! – Rukia olhava com um olha torto. – Isso aqui um casarão!
Os três entravam na casa, Hitsugaya entrava no quarto e Byakuya e Rukia logo atrás. Rukia se assustou com que viu, vários tipos de arma em um só quarto.
- Bom este é o meu armamento. – Disse Hitsugaya.
- Nossa da ultima vez que vir estava maior. – Disse Byakuya.
- Maior?! – Disse Rukia.
- É eu sei Byakuya, tiveram que tirar algumas dos meus bebês daqui, estava cheio demais. – Hitsugaya pegava algumas armas.
- Se isso, ta pequeno nem quero saber o que é grande. – Disse Rukia tocando nas armas, Byakuya e Hitsugaya riam de tudo que Rukia falava.
- Bem, aqui a algumas armas, vamos pro campo de treinamento, peguem, se não gostarem, podem pegar outra se quiser. – Disse ele dando as armas.
- Acho que esta boa esta pra mim. – Disse Rukia.
- Pra esta também. – Disse Byakuya.
--
Os três se encontravam num campo enorme, Rukia ficava de boa aberta ao ver tudo aquilo.
- Nossa! – Disse Rukia como se fosse igual aquele vídeo do partoba o “NOSSA!” quem não viu não sabe como é.
- Rukia lhe ensinarei a atirar. – Disse Hitsugaya pegando o pulso de Rukia. Mas foi interrompido por Byakuya.
- Não eu a ensinarei a atirar. – Disse Byakuya com um olhar de mal pra Hitsugaya. Rukia fiva vermelha no meio daquela situação, ela se soltava das duas mãos dos meninos.
- Calma meninos eu posso aprender sozinha. – Disse Rukia carregando a arma. – Hum! Eu vejo filme de ação. – Rukia dava uma risada e se posicionou pra dar o tiro só que errou. Ops!
- “Ops!” Só que você diz. – Disse Byakuya se aproximando da jovem e pegando o seu braço. (pessoal não sei como escrevemos essa cena, então imagine aquelas cenas de filmes onde o cara ensinar a garota a tirar).
Rukia já sabia atirar um pouco, mas Byakuya não queria, mas esperar, ele queria já acabar com isso. O dia estava lindo era o dia perfeito para uma morte. Byakuya arrumava as armas, enquanto o moreno de cabelos brancos olhava o carro, Rukia se preparavam para ação que ia vir. Os três iam até o carro em seguida entrara.
--
Os três sabiam onde casa da Shihouin Yoruichi, pois foi fácil encontrar, eles saíram do carro e se escondera dentro dos arbustos onde avistavam e se encontrava arvores grandes.
- Todos prontos? – Disse Byakuya.
- Sim. –Disse Rukia carregado á arma.
- Sim. – Disse Hitsugaya já com a arma na mão.
Os três conseguiram entrar na casa, Hitsugaya se separou deles dois, enquanto Rukia ficavam junto ao Byakuya. Shihouin Yoruichi se encontrava bem no meio do corredor da casa onde Byakuya e Rukia estavam.
- Ola Byakuya... – Disse a mulher de cabelos roxos -... Você trouxe sua amiga. Disse ela olhando com um olhar torto pra jovem Rukia.
- Ola Yoruichi... – Disse ele. -... Sobe que você trouxe uns amigos pra me matar. – Disse ele pegando uma arma e a carregando-a. – Rukia eu quero que você fique aqui. – Disse ele indo para sala onde a Yoruichi entrava.
- Esta bem... Disse Rukia olhando ele.
Rukia esperava o moreno, pois ela achava que ser podia ser resolve em conversa, pois ela sabia que não era a mãe verdadeira dele, mas a madrasta. Rukia ouvia uns tiros dentro da sala onde Byakuya estava.
- Byakuya! – exclamou a jovem, Hitsugaya via em direção a Rukia.
- O que aconteceu? – Disse Hitsugayaa ofegante.
- Byakuya esta lá dentro, com Yoruichi, e ouvir tiros! – Disse a jovem saído pouca lagrimas de seu rosto.
- Tudo bem Rukia-chan, ele deve esta bem...- Disse o jovem de cabelos brancos -... Ainda mais, ele não morreriam tão facilmente, pois já teriam morto por mim. – Disse ele vendo à jovem enxugando suas lagrimas.
- Vamos sair daqui, eu deixei uma bomba, temos que sair daqui rápido. – Disse o moreno de cabelos brancos pegando a mão da jovem.
- Mas o Byakuya? – Disse ela recusando a pegada de mão de Hitsugaya.
Hitsuguya olhava a mão de Rukia. – Ele estará bem Ruika-chan, ele já esta consciente de que pode da conta disso.
- Mas...Mas... – Dizia Rukia. – Mas se ele precisa de nós?
- Ele queria que você fosse comigo Rukia-chan. – Hitsuguya estendia a mão para jovem. Rukia olhava para a sala onde Byakuya estava e voltava a olhar pra Hitsuguya. – Está bem. – Rukia e Hitsugaya foram correndo pra fora da mansão.
--
Byakuya conversa com Yoruichi, o moreno sabia que já tinha uma bomba plantada na casa,ele agora só tinha que saber se todos os contratados por Yoruichi estavam na casa, então ele optou por uma pequena pergunta arriscada.
- Seus capangas estão todos aqui? – Perguntou Byakuya com um pouco de malicia na voz, o moreno sabia que faltava poucos minutos e tinha que saber rápido.
- Sim, para te matar! – Disse Yoruichi, logo a sala que se encontrava os dois, foi se enchendo por capangas pagos para matar Byakuya.
- Que bom saber! – Byakuya dava um sorriso grande no rosto e logo em seguida pula da janela de vidro (lembrando pessoal que ele esta no segundo andar da casa), e cai na grama da frente da casa, logo depois Byakuya se levanta e corre, e a casa se explode e pedaços! Byakuya cai com o barulho e o susto.
- Byakuya!!! – Gritava de longe Rukia que observava a cena. Rukia correr em direção ao Byakuya, apoiando a cabeça do moreno em seu colo.
- Rukia... – Pronunciava o nome da jovem o moreno.
- Sim? – Rukia tirava umas pequenas cinzas de fogo da roupa de Byakuya.
- Q-quer... N-namorar c-comigo? – O moreno olhava pra Rukia apaixonado.
- N-nossa depois de tamanha aventura que passei com você, espero mais! – Disse Rukia sorrindo e o levantando e logo em seguida o abraçando. – Claro que sim!
Os dois deram seu primeiro beijo, e depois quando terminam os estudos Byakuya pediu a mão de Rukia em casamento, eles se casaram, e depois teviram um filho chamado Yuki, parecido igual o pai, mais com o jeito da mãe.










avatar
LUandJU
Aldeão

Data de inscrição : 31/05/2012
Idade : 21
Localização : Macapa

O que sou
Raça: Humano
Classe: Arqueiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum